Olhos fechados

    Olhos costurados ou cheios de poeira não conseguem ver. Olhos costurados percebem a presença de outro, porem, não conseguem vê-lo. Olhos costurados permanecem com uma imagem eterna de si devido a incapacidade de ver seu reflexo. Por tal falta de imagem atualizada desconhecem as mudanças e os castigos fisiológicos que o tempo traz. Permanecem estes presos no angelical que um dia foi, e camuflando a mecanicidade e a maldade diária incrustrada ao longo dos contatos.
Olhos cheios de poeira não conseguem ver pra si, e somente e, olham turvamente o outro. Em proximidade aos olhos costurados deturpam a imagem de si, no entanto, ainda tem uma espécie de imagem alheia. Por mais que tente demonstrar diante dele não adianta, não vai enxergar. Por mais que a imagem seja gritante em sua frente, não adiante, não irá se formar apenas realçará algo nada além de um borrão. Um borrão que nem próximo do original está. Um borrão que traz a mente uma mentira que neste ponto deve ser encarada já como uma verdade, pois , se é o que vê como pode ser cobrado diferente, ou seja, na verdade o que ve é uma mentira, mas na verdade a mentira pra si é uma verdade.

Configuraçoes WordPress o wp-config.php

Endereço do Blog e Endereço do Site

fonte: http://desenvolvimentoparaweb.com/wordpress/truques-de-configuracao-do-wordpress/

Por padrão, essas duas constantes de configuração não estão incluídas no wp-config.php, mas eles devem ser adicionados para melhorar o desempenho. Estas duas definições foram introduzidas no WordPress 2.2 e servem para substituir os respectivos valores do banco de dados sem alterá-los, efetivamente.

A adição dessas constantes reduz o número de consultas ao banco de dados e, consequentemente, melhora o desempenho do site. Essas configurações devem coincidir com as especificadas no painel do WordPress (Configurações > Geral). Segue um exemplo (não inclua a barra no final da URL):

define('WP_HOME', 'http://digwp.com');
define('WP_SITEURL', 'http://digwp.com');

Um truque legal é definir esses valores dinamicamente usando a variável global do servidor:

define('WP_HOME', 'http://' . $_SERVER['HTTP_HOST'] . '/path/to/wordpress');
define('WP_SITEURL', 'http://' . $_SERVER['HTTP_HOST'] . '/path/to/wordpress');

“Template Path” e “Stylesheet Path”

Assim como o Endereço do Blog e Endereço do Site mostrados anteriormente, você também pode aumentar o desempenho do site eliminando as consultas ao BD para o “Template Path” e “Stylesheet Path” (que são, respectivamente, o caminho para o tema e o caminho para o estilo CSS). Aqui estão os valores padrão para essas duas definições:

define('TEMPLATEPATH', get_template_directory());
define('STYLESHEETPATH', get_stylesheet_directory());

Com isso, ainda há consultas ao banco de dados, mas é possível eliminar essas duas queries e colocar o caminho absoluto:

define('TEMPLATEPATH', '/absolute/path/to/wp-content/themes/active-theme');
define('STYLESHEETPATH', '/absolute/path/to/wp-content/themes/active-theme');

Desabilitar Cache e Expiração de Cache

Essas duas opções se aplicam a versões mais antigas do WordPress que ainda estão usando o esquema antigo de cache. A primeira permite habilitar ou desabilitar o cache, enquanto a segunda permite especificar o tempo de expiração de cache.

Habilitar o cache:

define('WP_CACHE', true); // habilita o cache
define('ENABLE_CACHE', true); // habilita o cache
define('CACHE_EXPIRATION_TIME', 3600); // em segundos

Desabilitar o cache:

define('WP_CACHE', false); // desabilita o cache
define('DISABLE_CACHE', true); // desabilita o cache

Especificar Domínio de Cookie (Cookie Domain)

Existem várias razões para especificar um domínio de cookie para o seu web site. Um exemplo comum envolve impedir que cookies sejam enviados com requisições de conteúdo estático em subdomínios. Neste caso, pode-se utilizar esta constante para dizer para o WordPress enviar cookies apenas para o seu domínio não-estático. Este poderia ser um ganho significativo de performance. Aqui estão alguns exemplos de definição de cookie domain:

define('COOKIE_DOMAIN', '.digwp.com'); // não omitir o '.'
define('COOKIEPATH', preg_replace('|https?://[^/]+|i', '', get_option('home').'/'));
define('SITECOOKIEPATH', preg_replace('|https?://[^/]+|i', '', get_option('siteurl').'/'));
define('PLUGINS_COOKIE_PATH', preg_replace('|https?://[^/]+|i', '', WP_PLUGIN_URL));
define('ADMIN_COOKIE_PATH', SITECOOKIEPATH.'wp-admin');

Substituir Permissões de Arquivo

Se as permissões do seu servidor são muito restritivas, inserir essas definições no seu arquivo de configuração do WordPress pode ajudar a resolver alguns problemas. Lembrando que não precisa colcoar aspas nos valores.

define('FS_CHMOD_FILE', 0755);
define('FS_CHMOD_DIR', 0755);

FTP/SSH

Essas constantes são para ajudar usuários a localizar e utilizar conexões FTP/SSH. Exemplos:

define('FS_METHOD', 'ftpext'); // força o método de sistema de arquivos : "direct", "ssh", "ftpext", or "ftpsockets"
define('FTP_BASE', '/path/to/wordpress/'); // caminho absoluto para a pasta raiz (de instalação)
define('FTP_CONTENT_DIR', '/path/to/wordpress/wp-content/'); // caminho absoluto para a pasta "wp-content"
define('FTP_PLUGIN_DIR ', '/path/to/wordpress/wp-content/plugins/'); // caminho absoluto para a pasta "wp-plugins"
define('FTP_PUBKEY', '/home/username/.ssh/id_rsa.pub'); // caminho absoluto para a pasta sua chave-pública SSH
define('FTP_PRIVKEY', '/home/username/.ssh/id_rsa'); // caminho absoluto para a pasta sua chave-privada SSH
define('FTP_USER', 'username'); // seu usuário de FTP ou SSH
define('FTP_PASS', 'password'); // senha do usuário especificado em FTP_USER
define('FTP_HOST', 'ftp.domain.tld:21'); // hostname (com especificação de porta) para o servidor SSH/FTP

Alterar a localização de “wp-content”

Desde a versão 2.6 do WordPress é possível alterar o local padrão da pasta wp-content. Há boas razões para fazer isso, incluindo o reforço da segurança das instalações e facilitação de atualizações via FTP. Aqui estão alguns exemplos:

// caminho completo para o diretório atual (sem a barra final)
define('WP_CONTENT_DIR', $_SERVER['DOCUMENT_ROOT'] . '/path/wp-content');
 
// URI completa para o diretório atual (sem a barra final)
define('WP_CONTENT_URL', 'http://domain.tld/path/wp-content');

Você também pode especificar um caminho personalizado para o wp-content. Isso pode ajudar com problemas de compatibilidade com certos plugins.

// caminho completo para o diretório atual (sem a barra final)
define('WP_PLUGIN_DIR', $_SERVER['DOCUMENT_ROOT'] . '/path/wp-content/plugins');
 
// URI completa para o diretório atual (sem a barra final)
define('WP_PLUGIN_URL', 'http://domain.tld/path/wp-content/plugins');

Revisões de Artigos (“Post Revisions”)

Já há algum tempo o WordPress fornecem um sistema de versões que permite aos utilizadores guardar versões diferentes de seus posts e até reverter para versões salvas anteriormente se necessário. Aqui estão algumas das definições de configurações que podem ser úteis.

Definir o número de versões salvas:

define('WP_POST_REVISIONS', 3);

Desabilitar a revisão de posts (se não for usar o recurso, utilize essa diretiva para poupar espaço no BD):

define('WP_POST_REVISIONS', false);

Tempo de Salvar Automaticamente (“Autosave”)

Assim como o controle de versões, o autosave é um recurso muito útil existente. Por padrão, o WordPress salva seu trabalho a cada 60 segundos, mas você pode modificar esta definição para o tempo que quiser. Cuidado com o que vai colocar para não “estressar” seu servidor!

define('AUTOSAVE_INTERVAL', 160); // em segundos

Debugging

Desde a versão 2.3.1 os usuários tem a opção de mostrar alguns erros e avisos para ajudar com a depuração do site. Desde a versão 2.5 do WordPress é possível elevar o nível de informação para E_ALL para ativar avisos para funções obsoletas. Por padrão (ou seja, se nenhuma definição é especificado no wp-config.php) o relatório de erros está desativado.

define('WP_DEBUG', true); // habilitar debugging mode
define('WP_DEBUG', false); // desabilitar debugging mode (padrão)

Relatório de Erros

Aqui está uma maneira fácil de habilitar um relatório básico de erros no WordPress. Crie um arquivo chamado php_error.log em uma pasta de sua escolhe e coloque permissão de escrita no arquivo (leia mais sobre permissões de arquivos). Em seguida, edite o caminho na terceira linha do código a seguir e coloque no seu “wp-config.php”:

@ini_set('log_errors','On');
@ini_set('display_errors','Off');
@ini_set('error_log','/home/path/domain/logs/php_error.log'); // complemento: http://br.php.net/getcwd

Aumentar memória do PHP

Se você estiver recebendo mensagens de erro como “Tamanho de memória permitido de X bytes esgotado”, esta dica pode ajudar a resolver o problema.

Desde o WordPress versão 2.5, a constante WP_MEMORY_LIMIT permite que você especifique a quantidade máxima de memória que pode ser usada pelo PHP. Por padrão, o WordPress irá automaticamente tentar alocar 32 MB – então você só vai precisar isso se quiser valores superiores a 32MB. Observe que alguns planos de hospedagem desativam sua capacidade de aumentar a memória do PHP; se for seu caso, você precisa pedir que eles aumente a memória pra você. Aqui estão alguns exemplos:

define('WP_MEMORY_LIMIT', '64M');
define('WP_MEMORY_LIMIT', '96M');
define('WP_MEMORY_LIMIT', '128M');

Salvar e exibir Queries do Banco de Dados para Análise

Esta técnica é perfeita para guardar as consultas de banco de dados e exibir as informações para análise posterior. O processo armazena cada consulta, sua função associada e seu tempo total de execução. Esta informação é guardada como um array e pode ser exibida em qualquer página do tema. Para fazer isso, primeiro adicione a seguinte diretiva no seu wp-config.php:

define('SAVEQUERIES', true);

Em seguida, no rodapé do tema ativo, coloque o seguinte:

if (current_user_can('level_10')) // se for administrador
{
    global $wpdb;
    print_r($wpdb->queries);
}

Controle de Acesso ao Proxy

Desde o WordPress 2.8 o arquivo de configuração pode ser usado para definir constantes envolvidas com o bloqueio, filtragem e permição de acesso a máquinas específicas de um servidor proxy. Por exemplo, se você hospedar seu site WordPress em uma intranet, você pode impedir o acesso a todos os hosts externos e só permitir visitas do localhost (usando a primeira definição abaixo).

Você também pode permitir o acesso de máquinas específicas com uma lista separada por vírgulas, uma verdadeira “lista branca” (como demonstrado na definição do terceiro abaixo). Necessariamente deve permitir o acesso de api.wordpress.org para garantir as funcionalidades de arquivos importantes e plugins.

define('WP_HTTP_BLOCK_EXTERNAL', true);  // bloqueia requisições externas
define('WP_HTTP_BLOCK_EXTERNAL', false); // permite requisições externas
define('WP_ACCESSIBLE_HOSTS', 'api.wordpress.org'); // "lista branca" de hosts

Como instalar o WordPress

Step One—Download WordPress

Podemos baixar WordPress direto do seu site:

wget http://wordpress.org/latest.tar.gz

Este comando irá baixar o pacote wordpress zipado direto para o diretório home do usuário. Você pode descompactá-lo a linha seguinte:

tar -xzvf latest.tar.gz 


Passo Dois-Criar o banco de dados e do usuário WordPress

 Depois que descompactar os arquivos WordPress, eles estarão em um diretório chamado wordpress no diretório home.
 Agora precisamos de trocar as marchas por um momento e criar um novo diretório MySQL para wordpress.
 Vá em frente e fazer login no Shell MySQL:

mysql -u root -p

Entre usando sua senha de root do MySQL, e então precisamos criar um banco de dados wordpress, um usuário no banco de dados, e dar esse usuário uma nova senha. Tenha em mente que todos os comandos do MySQL deve terminar com ponto e vírgula.
 Primeiro, vamos fazer o banco de dados (eu estou chamando meu wordpress para simplificar; sinta-se livre para dar-lhe o nome que você escolher):
CREATE DATABASE wordpress;
Query OK, 1 row affected (0.00 sec)
Então precisamos criar o novo usuário. Você pode substituir o banco de dados, nome e senha, com tudo o que você prefere:

CREATE USER wordpressuser@localhost;
Query OK, 0 rows affected (0.00 sec)

Defina a senha para o novo usuário:
SET PASSWORD FOR wordpressuser@localhost= PASSWORD("password");
Query OK, 0 rows affected (0.00 sec)


Concluir-se através da concessão de todos os privilégios para o novo usuário. Sem este comando, o instalador wordpress não será capaz de iniciar:


GRANT ALL PRIVILEGES ON wordpress.* TO wordpressuser@localhost IDENTIFIED BY 'password';
Query OK, 0 rows affected (0.00 sec)


Em seguida, atualize o MySQL:
FLUSH PRIVILEGES;
Query OK, 0 rows affected (0.00 sec)
Saia do shell do MySQL:
exit

Setup Configuração WordPress

 O primeiro passo é copiar o arquivo de amostra wordpress configuração, localizado no diretório wordpress, em um novo arquivo que iremos editar, criar uma nova configuração wordpress utilizável:
cp ~/wordpress/wp-config-sample.php ~/wordpress/wp-config.php

Em seguida, abra a configuração do wordpress:
sudo nano ~/wordpress/wp-config.php

Localize a seção que contém o campo abaixo e substitua com o nome correto para seu banco de dados, nome de usuário e senha:


// ** MySQL settings - You can get this info from your web host ** //
/** The name of the database for WordPress */
define('DB_NAME', 'wordpress');

/** MySQL database username */
define('DB_USER', 'wordpressuser');

/** MySQL database password */
define('DB_PASSWORD', 'password');


Salve e exit.


copiar os arquivos

Estamos quase terminando o upload WordPress para o servidor virtual privada. O movimento final o que resta é para transferir os arquivos WordPress descompactados para o diretório raiz do site.
sudo rsync -avP ~/wordpress/ /var/www/

Finalmente, precisamos definir as permissões sobre a instalação. Em primeiro lugar, mudar-se para o diretório web:
cd /var/www/

propriedade do diretório para o usuário apache.
sudo chown username:www-data /var/www -R 
sudo chmod g+w /var/www -R 

A partir daqui, o WordPress tem sua própria forma de instalação fácil de seguir online.
 No entanto, a forma exige um módulo específico para executar PHP. Se ele ainda não estiver instalado em seu servidor, baixar php-gd:
sudo apt-get install php5-gd

Uma vez que tudo é feito, a página de instalação on-line wordpress é para cima e esperando por você:
 Acesse a página, adicionando o arquivo /wp-admin/install.php de domínio ou endereço IP do seu site (por exemplo. Example.com/wp-admin/install.php) e preencher o formulário on-line curto (que deve ser semelhante a este).
x
















Veja mais

 Uma vez que WordPress é instalado, você tem uma base forte para construir o seu site.
 Se você quiser criptografar as informações em seu site, você pode instalar um certificado SSL
fonte: https://www.digitalocean.com/community/tutorials/how-to-install-wordpress-on-ubuntu-12-04
 

Aircrack

Plugin seu adaptador sem fio com capacidade de injeção, (a menos que o seu cartão de computador suporta). Se você estiver usando Kali em VMware, então você pode ter que ligar a placa via  ícone no menu do dispositivo.
Terceiro Passo:
Desconectar-se de todas as redes sem fio, abra um terminal e digite airmon-ng
Step 3
Isto irá listar todos os cartões sem fio que suportam monitor Modo (não injeção). Se não havia cartões são listados, tente desconectar e reconectar o cartão e verifique se ele suporta o modo monitor. Você pode verificar se a placa suporta o modo de monitor digitando ifconfig em outro terminal, se o cartão está listado no ifconfig, mas não aparece em airmon-ng, em seguida, o cartão não apoiá-lo.
Você pode ver aqui que o meu cartão suporta o modo de monitor e que está listado como wlan0.
Passo Quatro:
Tipo airmon-ng começar, seguido pela interface do seu cartão wireless. o meu é wlan0, por isso o meu comando seria: airmon-ng start wlan0
Step 4
A “(modo monitor ativado)” mensagem significa que o cartão com êxito foi colocado em modo monitor. Anote o nome da nova interface do monitor, mon0.


EDIT:
Um bug descoberto recentemente no Kali Linux faz airmon-ng definir o canal como um fixo “-1” quando você primeiro ativar mon0. Se você receber esse erro, ou simplesmente não querem correr o risco, siga estes passos depois de ativar mon0:
Tipo: ifconfig [interface de placa sem fio] para baixo e pressione Enter.
Substitua [interface de placa sem fio] com o nome da interface que você habilitou mon0 diante; provavelmente chamado wlan0. Isso desativa a placa sem fio se conectem à internet, permitindo que ele se concentrar em modo monitor em vez disso.
Depois de ter mon0 deficientes (concluído a seção wireless do tutorial), você vai precisar para permitir wlan0 (ou nome da interface sem fio), digitando: ifconfig [interface de placa sem fio] para cima e pressionando Enter.



Quinto passo: Tipo airodump-ng seguido do nome da nova interface de monitor, o que é provavelmente mon0.
Step 5
Se você receber um “canal fixo -1” erro, consulte o Editar acima.
Sexto passo:
Airodump agora listará todas as redes sem fio em sua área, e muita informação útil sobre eles. Localize sua rede ou a rede que você tem permissão para penetração de teste. Uma vez que você já viu sua rede na lista cada vez povoando, pressione Ctrl + C no teclado para parar o processo. Observe o canal da sua rede alvo.
step 6
Passo Sete:
Copie o BSSID da rede de destino
Step 7 Agora digite o comando:
airodump-ng -c [canal] –bssid [bssid] w / root / Desktop / [interface de monitor]
Substitua [canal] com o canal da sua rede alvo. Cole o BSSID rede onde [bssid] é, e substituir [interface de monitor] com o nome de sua interface habilitada para monitor, (mon0).
Um comando completo deve ser semelhante a este:
airodump-ng -c 10 –bssid 00: 14: BF: E0: E8: D5 w / root / Desktop / mon0
image
Agora, pressione enter.
Passo Oito:
Airodump com agora monitorar apenas a rede de destino, o que nos permite capturar informações mais específicas sobre o assunto. O que estamos realmente fazendo agora está à espera de um dispositivo para conectar ou reconectar à rede, forçando o roteador para enviar o four-way handshake que precisamos para capturar a fim de quebrar a senha.
Além disso, quatro arquivos devem aparecer no seu ambiente de trabalho, este é o lugar onde o aperto de mão será salvo quando capturados, portanto, não excluí-los!
Mas nós não estamos realmente vai esperar por um dispositivo para se conectar, não, não é isso que hackers fazer impaciente. Na verdade, estamos indo para usar uma outra ferramenta legal que pertence ao pacote Aircrack chamado aireplay-ng, para acelerar o processo. Em vez de esperar por um dispositivo para se conectar, os hackers usam esta ferramenta para forçar um dispositivo para reconectar enviando deauthentication pacotes (deauth) para o dispositivo, tornando-o pensar que ele tem de se reconectar com o roteador.
Claro que, para que esta ferramenta para trabalhar, tem que haver alguém conectado à rede em primeiro lugar, assim que o relógio do airodump-ng e esperar por um cliente para aparecer. Pode levar um longo tempo, ou ele só pode levar um segundo antes do primeiro mostra. Se nenhum aparecer depois de uma longa espera, então a rede pode estar vazio agora, ou você está para longe da rede.
Você pode ver nesta foto, que um cliente tem aparecido em nossa rede, que nos permite começar a próxima etapa.
Step 8
Passo Nove:
deixar airodump-ng rodando e abra um segundo terminal. Neste terminal, digite o seguinte comando:
aireplay-ng -0 2 -a [router bssid] -c [bssid cliente] mon0
O -0 é um atalho para o modo deauth e o 2 é o número de deauth pacotes para enviar.
-a indica o ponto de acesso (router) ‘s bssid, substitua [router bssid] com o BSSID da rede de destino, que no meu caso, é 00: 14: BF: E0: E8: D5.
-c indica o BSSID clientes, observado na imagem anterior. Substitua o [client bssid] com o BSSID do cliente conectado, este será listado em “CP.”
E, claro, mon0 significa apenas a interface monitor, mudá-lo se o seu é diferente.
Meu comando completo fica assim:
aireplay ng -0-2 -a 00: 14: BF: E0: E8: D5 -c 4C: EB: 42: 59: DE: 31 mon0
Step 9
Passo Dez:
Após pressionar Enter, você verá aireplay-ng enviar os pacotes, e dentro de instantes, você deve ver esta mensagem aparecer na tela do airodump-ng!
image
step 10
Isto significa que o aperto de mão foi capturado, a senha está nas mãos do hacker, de alguma forma ou de outra. Você pode fechar o terminal-ng aireplay e pressione Ctrl + C no terminal airodump-ng para parar de monitorar a rede, mas não feche ainda apenas no caso de você precisar de alguma da informação mais tarde.
Passo 11:
Isto conclui a parte externa deste tutorial. A partir de agora, o processo é inteiramente entre o seu computador, e esses quatro arquivos em seu desktop. Na verdade, a uma .cap, que é importante. Abra um novo terminal e digite o comando:
aircrack-ng a2 -b [router bssid] -w [caminho para wordlist] /root/Desktop/*.cap
-a é o método aircrack vai usar para quebrar o aperto de mão, 2 method = WPA.
-b significa bssid, substitua [router bssid] com o BSSID do roteador de destino, o meu é 00: 14: BF: E0: E8: D5.
w representa lista de palavras, substitua [caminho para lista de palavras] com o caminho para uma lista de palavras que você baixou. Eu tenho uma lista de palavras chamada “wpa.txt” na pasta raiz.
/root/Desktop/*.cap é o caminho para o arquivo .cap contendo a senha,   * significa o wild card em Linux, e desde que eu estou supondo que não há outros arquivos .cap na sua área de trabalho, este deve funcionar bem do jeito que está.
Meu comando completo fica assim:
aircrack-ng a2 -b 00: 14: BF: E0: E8: D5 -w /root/wpa.txt /root/Desktop/*.cap
image

Agora pressione Enter.
Passo 12:
Aircrack-ng vai agora lançar-se no processo de craqueamento a senha. No entanto, ele só irá quebrá-la se a senha passa a ser na lista de palavras que você selecionou. Às vezes, não é. Se este for o caso, então você pode felicitar o proprietário em ser “impenetrável”, é claro, só depois que você tentou cada lista de palavras que um hacker pode usar ou fazer!
Rachando a senha pode levar muito tempo, dependendo do tamanho da lista de palavras. Mina correu muito rapidamente.
Se a frase está na lista de palavras, então aircrack-ng vai mostrá-lo, você também assim:

image
A senha para a nossa rede de teste foi “notsecure,” e você pode ver aqui que aircrack-lo encontrado.
Se você encontrar a palavra-passe sem uma luta decente, em seguida, alterar sua senha, se é a sua rede. Se você é o teste de penetração para alguém, em seguida, dizer-lhes para alterar sua senha o mais rápido possível.

Dica de livros pra ler

A lista está em formato pdf. Boa leitura.

Arte no- pensamento-de-Heidegger

Carl_Gustav_Jung_-_A_Natureza_

nietzsche e pierce

nietzsche e o Jacob

nietzsche e história

Nietzsche – O conceito da Vida

jerry fodor

Jean Paul Sartre – A náusea

Vygotsky_-_A_Formao_Social_da_

Carl_Gustav_Jung_-_Os_Arqutipo

Carl_Gustav_Jung_-_Mito_Modern

Carl_Gustav_Jung_-_Memrias_Son

BERKELEY_Teoria_da_Visao

AS REGRAS DO MÉTODO SOCIOLÓGICO – Emile Durkheim

A Doutrina Secreta Vol. I – Cosmogênese – Helena Petrovna Blavatsky

 

Das Fobias à Síndrome do Pânico

Diz-se que na Síndrome do Pânico não existe causa alguma que detone a crise. Entretanto, seguindo o modelo de entrevista psicanalítica, numa escuta minuciosa, e acompanhando os modos de operar do inconsciente, começam a se tornar visíveis certas situações fantasmáticas inconscientes; são estas que originam as cadeias associativas que por sua vez encobre a situação de origem. Read more

Donaren

 

FONTE: http://www.medicinanet.com.br/bula/2028/donaren.htm

Apresentação de Donaren
compr. 50 mg cx. c/ 60 un.

Donaren – Indicações
Depressão mental com ou sem episódios de ansiedade. Dor neurogênica (neuropatia diabética) e outros tipos de dores crônicas. Tratamento da Depressão Maior.

Contra-indicações de Donaren
Em pacientes com hipersensibilidade à Trazodona ou aos componentes da fórmula. No infarto do miocárdio (período de recuperação).

Advertências
A TRAZODONA ESTÁ ASSOCIADA À OCORRÊNCIA DE PRIAPISMO. OS PACIENTES DO SEXO MASCULINO COM EREÇÕES PROLONGADAS OU COM DURAÇÃO INADEQUADA, DEVEM SUSPENDER IMEDIATAMENTE O TRATAMENTO COM O MEDICAMENTO E CONSULTAR O MÉDICO. Foram relatados casos de detumescência do priapismo e ereções do pênis induzidas por medicamentos por injeção intracavernosa com estimulantes alfa-adrenérgicos tais como epinefrina e metaraminol. Em um caso de priapismo (de 12 a 24 horas de duração) em paciente tratado com Trazodona, no qual foi aplicada a injeção intra-cavernosa de epinefrina, ocorreu detumescência imediata com retorno de atividade eréctil normal. Esse procedimento deve ser realizado sob a supervisão de um urologista ou um médico familiarizado com o tratamento e não deve ser iniciado sem consulta urológica, se o priapismo persistir por mais de 24 horas. A Trazodona não é recomendada para uso durante a fase inicial de recuperação do infarto do miocárdio. PRECAUÇÕES GERAIS: – Administrar Donaren durante ou logo após as refeições a fim de evitar irritação gástrica. – Embora 75% dos pacientes apresentem melhora em 2 semanas, às vezes é necessário um período superior a 30 dias para produzir efeitos terapêuticos significativos. – Suspender a medicação gradualmente. – Evitar bebidas alcoólicas ou outros depressores do SNC. – Cuidado ao levantar-se ou sentar-se abruptamente, pode ocorrer vertigem. – Evitar funções onde a falta de atenção aumenta o risco de acidentes. – O risco/benefício deve ser considerado em situações clínicas como doenças cardíacas, alcoolismo, comprometimento hepático ou renal e gravidez. A possibilidade de suicídio em pacientes seriamente deprimidos é inerente à doença e pode persistir até que ocorra melhora significativa. Portanto, deve-se prescrever o menor número possível de comprimidos adequando o tratamento às necessidades do paciente. Há relatos sobre a ocorrência de hipotensão, incluindo a hipotensão ortostática e síncope em pacientes sob tratamento com Cloridrato de Trazodona. A administração concomitante de terapia anti-hipertensiva com Trazodona pode exigir uma redução da dose do medicamento anti-hipertensivo. Pouco se sabe sobre a interação entre a Trazodona e anestésicos em geral; portanto, antes de cirurgia eletiva, o tratamento com Trazodona deve ser interrompido pelo tempo que for clinicamente viável. Deve-se tomar precauções ao administrar Cloridrato de Trazodona a pacientes com distúrbios cardíacos e tais pacientes devem ser monitorados cuidadosamente, visto que medicamentos antidepressivos (incluindo a Trazodona) estão associados com a ocorrência de arritmias cardíacas. Estudos clínicos recentes relativos à pacientes com distúrbios cardíacos preexistentes indicam que a Trazodona pode ser arritmogênica em alguns pacientes desse grupo. Devido à sua fraca atividade adrenolítica, a Trazodona pode provocar bradicardia e hipotensão acompanhada de eventual taquicardia compensatória, o que exige cuidados no uso em pacientes cardiopatas, especialmente nos que apresentam distúrbios de condução ou bloqueio aurículo-ventricular. Assim como ocorre com todos os antidepressivos, o uso da Trazodona deve ser recomendado pelo médico levando em consideração se os benefícios da terapia superam os fatos potenciais de risco. Como foi relatada a ocorrência do priapismo em pacientes que receberam Cloridrato de Trazodona, os pacientes com ereção prolongada ou inapropriada do pênis devem interromper imediatamente o tratamento com o medicamento e consultar o médico (veja ADVERTÊNCIAS). A Trazodona pode intensificar o efeito do álcool, barbitúricos e outros depressores do SNC (sistema nervoso central). A Trazodona deve ser administrada logo após uma refeição ou um pequeno lanche. Em qualquer paciente, a absorção total do medicamento pode ser até 20% maior quando é tomado com alimento ao invés de ingeri-lo com estômago vazio. O risco de tontura/delírio pode aumentar sob condições de jejum.

Uso na gravidez de Donaren
Não há estudos adequados e bem controlados sobre os efeitos em mulheres grávidas. A Trazodona não deve ser usada durante os três primeiros meses da gravidez, e nos meses restantes apenas se o benefício esperado justificar o risco potencial para o feto. AMAMENTAÇÃO A Trazodona e/ou seus metabólitos foram encontrados no leite de ratos lactantes, sugerindo que o medicamento pode ser excretado no leite humano. Não se recomenda administrar o Cloridrato de Trazodona para lactantes.

Interações medicamentosas de Donaren
Deve-se evitar a administração do medicamento concomitante à terapia por eletrochoque pela ausência de pesquisa nessa área. Há relatos de ocorrência de aumento e diminuição de tempo de protrombina em pacientes sob tratamento com warfarina e Trazodona. A Trazodona na dose de 175 mg/dia não intervém na terapia anticoagulante com cumarínicos, embora modere o efeito da heparina. O uso concomitante com álcool ou outros depressores do SNC, pode causar depressão excessiva do Sistema Nervoso Central. O uso concomitante de anti-hipertensivos pode causar hipotensão grave. A Trazodona na dose de 100 a 300 mcg/kg produz uma inibição dosedependente do efeito anti-hipertensivo da clonidina. Há relatos da ocorrência de aumento nos níveis de digoxina ou fenitoína no sangue em pacientes que recebem Trazodona juntamente com um desses medicamentos. Foi descrito um caso de possível intoxicação digitálica precipitada pela Trazodona em um paciente geriátrico, sugere-se especial cuidado nestes casos. Não se conhece sobre a ocorrência de interações entre inibidores da monoaminoxidase (IMAO) e a Trazodona. Devido à ausência de pesquisa clínica, se os inibidores da MAO forem suspensos um pouco antes ou forem administrados concomitantemente à Trazodona, a terapia deve ser iniciada com cautela aumentando-se gradualmente a dosagem até que se obtenha a reação esperada.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Donaren
Reações mais freqüentes: sonolência, boca seca, gosto desagradável, náusea, vômito e cefaléia. Assim como outras drogas psicoativas, a Trazodona causa sedação, mas seu efeito sobre o sono difere de todas as demais drogas da classe, pois não deprime o sono REM como a fenotiazida que deprime o comportamento de auto-estimulação pela ação da anfetamina e produz um bloqueio alfa-adrenérgico, mas ao contrário das demais drogas a Trazodona apresenta mínimos efeitos anticolinérgicos e não antagoniza a dopamina central. – Reações ocasionais ou raras: priapismo, efeitos no SNC, batimento cardíaco irregular, hipotensão, excitação anormal, visão turva, constipação, diarréia, dor muscular, debilidade ou fraqueza anormal. Houve ocorrências ocasionais de bradicardia sinusal em estudos a longo prazo. Outros relatos mais raros incluem: acatísia, reação alérgica, anemia, dores no peito, fluxo alterado de urina, alteração da menstruação, flatulência, hematúria, hipersalivação, hipomania, dificuldade da fala, impotência, aumento do apetite, aumento de libido, contrações musculares, entorpecimentos e ejaculação retrógrada. O tratamento com a Trazodona foi associado à ereção do pênis e priapismo. Para avaliar esta reação adversa, um estudo duplo-cego em 6 pacientes saudáveis comparou a ação da Trazodona com a trimipramina (tricíclico). Durante o tratamento com Trazodona houve um aumento estatisticamente significativo da ereção noturna, que passou de 177+21 minutos com trimipramina para 285+115 minutos com Trazodona (p<0.05). A análise do sono REM, quando ocorre a ereção, em relação à detumescência foi significativamente prolongada em 2,4 vezes com Trazodona. A Trazodona foi associada à melhora da ereção em homens impotentes e ao prolongamento da ereção em homens normais. O aumento da libido na mulher e priapismo no homem com Trazodona foi relatado em um estudo aberto em 3 pacientes onde o autor realça que a Trazodona pode causar priapismo intratável no homem, mas pode ter alguma utilidade terapêutica nas mulheres com distúrbios sexuais.

Donaren – Posologia
A dosagem deve ser iniciada em nível baixo e aumentada gradualmente, observando-se a reação clínica e qualquer evidência de intolerância. A ocorrência de sonolência pode exigir que se administre uma concentração maior da dose diária à noite ou redução da dosagem. O cloridrato de Trazodona deve ser tomado logo após uma refeição ou um pequeno lanche. O alívio sintomático pode ser observado durante a primeira semana, com efeitos antidepressivos efetivos em geral evidentes dentro de 2 semanas. Vinte e cinco por cento que respondem bem à Trazodona precisam de mais de 2 semanas (até 4 semanas) de administração do medicamento. Dosagem Usual em Adultos Sugere-se uma dose inicial de 50 a 150 mg/dia dividida em 2 vezes ao dia ou administrada em dose única à noite. A dose pode ser aumentada em 50 mg/dia a cada 3 ou 4 dias se necessário e tolerada. A dose máxima para pacientes ambulatoriais não excede normalmente 400 mg/dia em doses divididas. Para pacientes hospitalizados (isto é, pacientes mais gravemente deprimidos) pode-se administrar até 600 mg/dia em doses divididas. Doses maiores do que 800 mg só devem ser usadas em casos muito severos. Idosos Iniciar com 75 mg/dia, via oral, em doses fracionadas, aumentando-se gradativamente com intervalos de 3 ou 4 dias. Manutenção A dosagem durante terapia de manutenção prolongada deve ser mantida no nível mais baixo de eficiência. Uma vez obtida uma resposta adequada, deve-se reduzir gradualmente a dosagem, com ajuste subseqüente dependendo da reação terapêutica. Embora não tenha havido nenhuma avaliação sistemática da eficácia da Trazodona além de 6 semanas, é recomendado em geral que o tratamento com drogas antidepressivas tenha a duração de vários meses.

Superdosagem
A LD50 do medicamento é 610 mg/kg em camundongos, 486 mg/kg em ratos, e 560 mg/kg em coelhos. Sinais e Sintomas – Sintomas de superdosagem: sonolência, diminuição da coordenação muscular, náusea ou vômito. – As conseqüências da superdosagem em pacientes que ingerem cloridrato de Trazodona e outra droga concomitantemente (por exemplo, álcool + hidrato de cloral + diazepan; amobarbital; clordiazepóxido; ou meprobamato) podem ser muito graves ou fatais. As reações mais graves relatadas ocorridas apenas com superdosagem de Trazodona foram priapismo, parada respiratória, ataques e alterações de ECG. As reações mais freqüentes foram sonolência e vômitos. A superdosagem pode causar um aumento na incidência ou gravidade de quaisquer das reações adversas relatadas (veja REAÇÕES ADVERSAS). Tratamento Não há um antídoto específico à Trazodona. O tratamento deve ser sintomático e de suporte no caso de hipotensão ou sedação excessiva. Qualquer paciente com suspeita de ter ingerido uma superdosagem deve sofrer lavagem estomacal. A diurese forçada pode ser útil para facilitar a eliminação da droga.

Donaren – Informações
Donaren é um novo antidepressivo cujo princípio ativo é o Cloridrato de Trazodona. A Trazodona é um derivado da triazolopiridina que difere quimicamente dos demais antidepressivos disponíveis. Embora a Trazodona apresente certa semelhança com os benzodiazepínicos, fenotiazidas e antidepressivos tricíclicos, seu perfil farmacológico difere desta classe de drogas. O mecanismo da ação antidepressiva da Trazodona no homem ainda não está completamente elucidado. Estudos em animais demonstram inibição seletiva da recaptura da serotonina no cérebro e outras ações farmacológicas em receptores adrenérgicos. Em animais, a Trazodona inibe seletivamente a absorção da serotonina pelos sinaptossomas do cérebro e potencializa as alterações do comportamento induzidas pelo precursor de serotonina, o 5-hidroxitriptofano. Os efeitos da trazodona na condução cardíaca de cães anestesiados são qualitativamente dissimilares e quantitativamente menos pronunciados do que aqueles observados com antidepressivos tricíclicos. A trazodona não é um inibidor da monoaminoxidase e, ao contrário de drogas do tipo anfetaminas, não estimula o sistema nervoso central. A atividade anticolinérgica da Trazodona é menor do que a apresentada pelos antidepressivos tricíclicos, em estudos animais, e este fato foi confirmado em estudos clínicos em pacientes deprimidos. Donaren é indicado para o tratamento da depressão Maior. A eficácia da Trazodona foi demonstrada em administrações tanto em pacientes hospitalizados quanto em tratamento ambulatorial, e em pacientes deprimidos com ou sem ansiedade. Episódio Depressivo Maior implica humor depressivo ou disfórico importante ou relativamente persistente (quase todo dia durante pelo menos 2 semanas) que interfere na atividade normal diária, e inclui pelo menos quatro dos oito seguintes sintomas: alteração do apetite, alterações do sono, agitação ou lentidão psicomotora, perda do interesse nas atividades usuais ou diminuição do impulso sexual, aumento de fadiga, sentimentos de culpa ou de auto-desmerecimento, pensamento lento ou diminuição da concentração, e idéias ou tentativas suicidas. Farmacocinética A Trazodona é bem absorvida após a administração oral. Sua absorção pode ser aumentada quando administrada com alimentos. Quando a Trazodona é tomada logo após a ingestão de alimentos, pode haver um aumento na quantidade da droga absorvida, uma diminuição da concentração máxima e prolongamento do tempo para atingir a concentração máxima. A concentração plasmática máxima é atingida aproximadamente em uma hora após a administração quando o cloridrato de Trazodona é ingerido com estômago vazio e duas horas após a administração quando ingerido com alimentos. A taxa de ligação protéica é alta (89-95%). A biotransformação é hepática, extensa, sendo a excreção renal (75%) e biliar (20%). A eliminação da Trazodona é bifásica, consistindo de uma fase inicial (meia-vida de 3 a 6 horas), seguida de uma fase mais lenta (meia-vida de 5 a 9 horas), e não é afetada pela presença ou ausência de alimento. Visto que a depuração da Trazodona é bastante variável, em alguns pacientes, a droga poderá se acumular no plasma. Os pacientes que respondem ao tratamento com Trazodona, um terço dos pacientes hospitalizados e metade dos pacientes ambulatoriais, apresentam uma reação terapêutica significativa no final da primeira semana de tratamento. Três quartos de todos os pacientes que apresentam resposta positiva ao tratamento demonstram um efeito terapêutico significativo ao final da segunda semana. Em geral, são necessárias de 2 a 4 semanas para uma reação terapêutica significativa para um quarto dos pacientes que respondem ao tratamento.

Depressão

Esta doença não tem cura. Uma afirmação. Apego-me em bengalas químicas legalmente anotadas pelo médico pra poder continuar. É uma força muito além do que se pode simplesmente explicar com dicas da dona Lulu. No entanto, as bengalas estabelecem aquele apoio como que um porto seguro onde se pode contar. Tenho esperança e me apego as outras coisas. Tenho procurado disfarçar e ludibriar a mente. Fiz um canteiro de hortaliças, fiz um local onde cultivo flores. Procuro entalhar vidro e nele criar um algo novo e expressar meu interior. Tenho procurado ler pra poder talvez escrever correto.

 Penso em vários momentos de dificuldade que poderia ser pior isso não é uma forma de contentamento ou de fuga, mas é talvez uma forma de globalizar o problema e tentar nutrir energias boas. Ao perceber que existem problemas piores bate uma sensação de vergonha por ser diminuto o deste que escreve. Mas isso ocorre quando a raiva não me domina.

 Tenho visto muita coisa ruim, mas destas pessoas ruins tento manter distancia. Em meu intimo percebo que neste planeta nem todos são seres amados de luz com alguns afirmam. Em meu intimo percebo que alguns são como vermes existem apenas para roubar oxigênio de outros e ao mesmo tempo perturbar vida de quem simplesmente quer viver. O oxigênio eu adaptei, pois não entendo nada de vermes e nem sei se utilizam este, mas os humanos vermes tenho certeza que sim. O interessante é quando não podemos sair pela tangente e por uma mera arte de observar assim ficamos e os vermes ali estão tentando ser tentando extrair o ultimo sumo destes que só querem viver.

Alem disso tenho procurado coisas alternativas. Li dias atrás sobre sons binaurais achei interessante ou talvez bem curioso. Estou tentando esta prática todas às noites quando já não mais consigo viver comigo.

O que diria sobre o todo superior e as crenças? Acho que temos que ter algo em que ancorar. No fundo bem no fundo tudo ao redor é química e energia. Mas como fomos criados com estima baixa somos obrigados a crer em força maior.

Tenho procurado criar maquetes em um programa livre da google em 3d é bom da pra criar universos personalizados. Tenho feito tabela pra tudo na minha vida, tabela pra tristeza, tabela pra conexão da internet, tabela da lua, tabela da chuva, tabela de estudo isso também tem ajudado. Tenho tentado aprender os ofícios que um pedreiro tem e assim tento construir minhas próprias coisas, demora, mas faço sozinho o que gosto. Neste momento a mente estabelece um pequeno acordo, uma trégua momentânea. Depois de um corpo fadigado nada posso pensar mais ou fazer senão apagar.

Percebi que reciclar, mas não como aqueles merdas dos ecologistas falam reciclar mesmo a pratica verdadeira é bem prazerosa. Quando acho algo no lixo que pode ser moldado, reaproveitado, recriado é como um gozo. Traz-me felicidade. Assim tento viver ludibriando a mente. Acho que esta é a única chave para tentar fugir do infortúnio.

Pra você que acha ou está em completa solidão e os pensamentos desgraçados passando como sicuta lhe diria pra tentar continuar. Colocar metas mesmo que absurdas aos olhos dos outros. Inventar algo que goste de fazer não o que os outros querem que faça. Não precisa seguir aquelas dicas  que normalmente tens ouvido como saia de casa, encontre amigos, vá a um baile, e puta que pariu, podes ser feliz lentamente dentro de teu castelo. Comece com atividades pequenas. Não precisa esperar a aprovação de ninguém, nem seus comentários és bem mais do que isso. Crie e recrie. Caso  esteja com digamos com uma doença, a doença da mente fuzilada, da mente inquieta, é um ser especial. Um ser verdadeiramente de luz, aqueles que eles dizem, além de seu tempo que produz tanto na mente que não consegue se satisfazer com o presente. Vá alem não acabe tudo de maneira simples.